11 janeiro, 2007

"A Comissão Europeia (CE) vai brevemente confrontar Portugal com um contencioso devido à política de preços regulados e artificialmente baixos imposta pelo Governo na electricidade".

Este caso é um exemplo do porquê de Sócrates e companhia continuarem com a popularidade em alta.
Para os mais esquecidos, tudo isto começa, em finais de outubro, com a ERSE a propor um aumento a rondar os 16% para a tarifa da electricidade, de modo a que estas reflectissem as condições do mercado.
Para a opinião pública a entidade reguladora era a má da fita (apesar do "espalhanço" do secretário de estado Castro Guerra), afinal vinha propor um aumento destes em tempos de crise.

No meio da sua enorme generosidade o governo limitou a subida da tarifa a 6%. Mas também no meio da sua enorme ingenuidade o governo não sabia que isso colocava em causa a liberalização do mercado da electricidade.
Agora a tarifa deverá mesmo subir. O governo, tal qual Pilatos, lava as suas mãos. Afinal, não tem culpa, os aumentos são exigência de Bruxelas.

0 Comentário(s):

Enviar um comentário

<< Home